Foi por pouco

No jogo deste fim de semana, defrontaram-se os dois últimos da tabela classificativa do Campeonato Nacional da Honra, C. R. Arcos de Valdevez e R.C. Montemor. Os visitantes levaram a melhor com a vantagem tangencial de um ponto, com um resultado final de 9-10, num jogo muito disputado, e com bons apontamentos.

O jogo começou como acabou: equilibrado. Em períodos alternados, CRAV e R.C. Montemor dominaram territorialmente e a nível de posse de bola. Em termos estatísticos, terá pendido para o CRAV alguma vantagem neste domínio, mostrando maior iniciativa de jogo e períodos mais prolongados de domínio territorial. No entanto, sensivelmente a meio da primeira parte, o R.C. Montemor marcou um ensaio, aproveitando uma recuperação de bola e desenvolvendo o subsequente contra-ataque, naquele que será o único ensaio do jogo. O CRAV reagiu, procurou tomar conta das operações e chegou mais perto da linha de ensaio. Nesta toada de insistência, a equipa visitante foi obrigada a cometer erros, que valeram ao CRAV a redução para 3-7 por conversão de uma penalidade, que selou o resultado ao intervalo.

Na segunda parte, sentiu-se uma maior pressão ofensiva da equipa da casa. Grande parte do jogo foi disputado no meio-campo da equipa de Montemor, com alguma supremacia dos minhotos. Este esforço valeu-lhe ultrapassar a linha de ensaio por duas vezes, mas sem validação da equipa de arbitragem, que considerou que a bola não foi pousada pelo jogador arcuense envolvido. A esta maior iniciativa de jogo, o R.C. Montemor respondeu com uma defesa muito organizada e muito forte nos despiques individuais, que dificultava a progressão no terreno dos arcuenses, que, apesar das dificuldades, conseguiram inverter o resultado. Beneficiando e duas penalidades, os arcuenses conseguiram, concretizar duas penalidades (9-7) que premiaram o seu esforço e castigaram a equipa alentejana.

No entanto, nos minutos finais do jogo, o R.C. Montemor criou duas ocasiões de muito perigo quase conseguindo o ensaio. Nesse período de reação, a equipa arcuense cometeu uma falta, que foi convertida e ditou a vitória dos visitantes. Já no término do encontro, a reação arcuense esbarrou contra o rigor defensivo da equipa alentejana, e já o grande desgaste dos visitados (foi um jogo muito intenso) não permitia a lucidez necessária para conseguir pontos em tão pouco tempo num jogo tão equilibrado.

Em termos de balanço final, o resultado premiou a organização defensiva do R.C. Montemor e castigou a inexperiência da jovem equipa do CRAV: é um grupo cuja evolução é visível, com uma maior organização coletiva e maior estabilidade nas formações estáticas, mas que nos momentos decisivos não consegue os pontos. No próximo fim de semana, o CRAV deslocar-se-á a casa do S.L. Benfica, que vive um momento menos bom, tendo perdido uma semana antes contra esta mesma equipa do R.C. Montemor por 34-8.